(Foto: Divulgação)

Em reviravolta, ministro suspendeu decisão que autorizava realização de festa milionária na cidade de Teolândia

O pedido de suspensão havia sido feito pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que acionou a Justiça após suspeitas de irregularidades nos gastos com a festa – somente Gusttavo Lima receberia mais de R$ 700 mil de cachê – e foi atendido por decisão judicial.

O município de Teolândia está em estado de emergência oficial desde final do ano passado e gastaria mais de R$ 2 milhões com a festa. Ao todo, o festival teria 28 shows, com um custo total de R$ 2 milhões, o que corresponde a 40% do dinheiro gasto com a saúde do município ao longo do último ano, informa reportagem do G1.