Atacante fez o primeiro gol do Brasil na vitória por 4 a 0 sobre o Paraguai, nesta terça-feira, no Mineirão

 

Quando o coletivo flui, o individual aflora. Foi assim que Raphinha viu a grande exibição da Seleção Brasileira na vitória por 4 a 0 sobre o Paraguai. Autor do primeiro gol do Brasil na partida desta terça-feira (1º), o atacante destacou o alto nível coletivo da equipe no jogo.

Em entrevista após o apito final, o atacante comentou o desempenho do Brasil no Mineirão.

“Foi um jogo muito bom, tanto individualmente quanto coletivamente. Com os jogadores passando confiança, fica tudo mais fácil. Fico muito feliz de ter marcado, mas também muito feliz de termos mantido essa pegada e saído com a vitória”, pontuou, antes de citar o ritmo que a Seleção imprimiu desde o início:

“Acho que foi nossa maneira de impor o ritmo do jogo, não deixar eles tomar conta da partida. Desde o primeiro minuto buscamos nossa maneira de jogar, com aceleração, bolas individuais. Defensivamente ajudamos bastante também. Conseguimos uma boa partida desde o primeiro minuto”.

Durante o jogo, Raphinha viveu a frustração de ter um gol anulado pelo VAR. Mas a tristeza se transformou rapidamente em felicidade quando ele, minutos depois, voltou a marcar e teve o gol validado. Perguntado sobre o sentimento de viver essa montanha-russa em minutos, o atacante frisou a importância de manter o foco na partida.

“É difícil tu fazer o gol, comemorar, ter aquele momento especial e depois o juiz invalidar no VAR. Mas é muito importante manter o foco dentro da partida para se aparecer outra oportunidade estar lá para fazer o gol”.

Com a vitória por 4 a 0 sobre o Paraguai, o Brasil chegou a 39 pontos nas Eliminatórias e se isolou ainda mais na liderança. Já classificada para a Copa do Mundo, a Seleção volta a se reunir no mês de março, para os confrontos com Chile, em casa, e Bolívia, fora.

Brasil x Paraguai no Mineirão pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. RaphinhaBrasil x Paraguai no Mineirão pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Raphinha
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF