Jair Bolsonaro, Felipe Nunes e Lula (Foto: ABr | Stuckert | Divulgação)

“O voto estratégico em Lula para derrotar Bolsonaro logo no 1º turno ajuda a entender o favoritismo do ex-presidente”, afirma o professor Felipe Nunes, diretor da Quaest

Pesquisa presencial da Quaest, patrocinada pelo Banco Genial e divulgada nesta quarta-feira (8), mostra que entre eleitores que a princípio não votariam no ex-presidente Lula (PT) e nem em Jair Bolsonaro (PL), 27% dizem que podem mudar seu voto para viabilizar a vitória do petista já no primeiro turno.

“O voto estratégico em Lula para derrotar Bolsonaro logo no 1º turno também ajuda a entender o favoritismo do ex-presidente”, afirma o professor Felipe Nunes, diretor da Quaest.

grafico

A pesquisa ouviu 2.000 pessoas presencialmente entre 2 e 5 de junho. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-03552/2022.