A Meta, administradora do Facebook e Instagram, liberou publicações que estimulem violência contra russos e preguem a morte de Putin e Lukashenko

TASS – A Procuradoria-Geral da Rússia exige que a Meta seja reconhecido como uma organização extremista e banida de suas atividades na Federação Russa. Isto foi relatado à TASS pelo serviço de imprensa do gabinete do procurador-geral.”De acordo com a Lei Federal ‘Sobre o Combate à Atividade Extremista’, o Gabinete do Procurador-Geral da Federação Russa enviou um pedido ao tribunal para reconhecer a Meta Platforms Inc. como uma organização extremista e proibir suas atividades no território da Federação Russa”, diz o relatório.

Entenda:

RT – A Rússia exigiu que as autoridades dos EUA tomem medidas para impedir o “extremismo” e ameaças contra seus cidadãos online, depois que a empresa-mãe do Facebook, Meta, disse que permitiria pedidos de violência contra russos no contexto da ofensiva de Moscou na Ucrânia.

“Exigimos que as autoridades [dos EUA] parem com as atividades extremistas de Meta, tomem medidas para levar os autores à justiça”, tuitou a embaixada russa dos EUA na sexta-feira. “Os usuários do Facebook [e] Instagram não deram aos proprietários dessas plataformas o direito de determinar os critérios de verdade e colocar as nações umas contra as outras.”

A declaração segue comentários da Meta no início do dia, que confirmou que permitiria ameaças violentas contra russos sob certas condições no Facebook e no Instagram.

“Como resultado da invasão russa da Ucrânia, temporariamente permitimos formas de expressão política que normalmente violariam nossas regras, como discurso violento como ‘morte aos invasores russos’. Civis russos”, disse o porta-voz Andy Stone.