Setores de transportes e alimentação e bebidas tiveram os maiores aumentos no preços

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), prévia da inflação, atingiu 1,14% em setembro. A taxa é a maior para o mês desde o início do Plano Real, em 1994.

Os grupos que mais impactaram no resultado foram transportes, com 2,22% e alimentação e bebidas, com 1,27%, que teve uma variação maior do que no mês anterior. Em terceiro lugar, veio o grupo de alimentação e bebidas, com 1,27% e, em quarto, habitação, com 1,55%.

Gasolina e energia elétrica foram os itens individuais que tiveram maior impacto no IPCA-15 de

Já sobre o grupo de Alimentação e bebidas, o delivery teve um aumento de 1,51%, maior do que o registrado em agosto de 1,29%. Carnes (1,1%), batata-inglesa (10,41%), café moído (7,8%), frango em pedaços (4,7%), frutas (2,81%) e leite longa vida (2,01%) também tiveram altas.

O aumento no grupo Habitação deve-se pela alta no preço da energia elétrica (3,61%). O aumento no item diminuiu dos 5% registrados em agosto.

Todas as regiões tiveram alta no índice. Em comparação regional, Fortaleza foi a cidade com menor aumento, com 0,68%, e Curitiba, com o maior, 1,58%.