Polícia prende suspeito de matar mulher trans após festa em Ceilândia, no DF; vídeo mostra momentos antes do crime

ago 3, 2022
Polícia prende suspeito de matar mulher trans após festa em Ceilândia, no DF; vídeo mostra momentos antes do crime

Por Afonso Ferreira, TV Glo

 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nesta terça-feira (2), o homem suspeito de matar uma mulher transexual, na madrugada de sábado (30), na QNP 19, em Ceilândia, no Distrito Federal.

 

A vítima foi identificada apenas como Isabella Yanka, de 20 anos. Segundo a Polícia Civil, a mulher foi esfaqueada três vezes no pescoço. Já a identidade do suspeito, de 27 anos, não foi divulgada pela corporação. Ele confessou o crime e foi indiciado por feminicídio, com impossibilidade de defesa da vítima.

Isabella Yanka foi morta a facadas após festa em Ceilândia, no DF — Foto: Facebook/Reprodução

Isabella Yanka foi morta a facadas após festa em Ceilândia, no DF — Foto: Facebook/Reprodução

O corpo da vítima foi encontrado com sinais de violência, por testemunhas que saíam de uma festa. Câmeras de segurança da região flagraram ela e o suspeito andando juntos, momentos antes do crime (assista acima).

Os investigadores afirmam que a vítima tinha ido para uma festa com amigas, na Praça da Bíblia. As amigas disseram que consumiram muito álcool e que a jovem assassinada se perdeu do resto do grupo, e não foi mais vista.

Versão contraditória

 

Suspeito de matar mulher trans e vítima andando juntos, em Ceilândia, no DF — Foto: Reprodução

Suspeito de matar mulher trans e vítima andando juntos, em Ceilândia, no DF — Foto: Reprodução

A investigação foi conduzida pela 19ª Delegacia de Polícia, em Ceilândia. Após a colheita dos depoimentos, os policiais conseguiram as imagens das câmeras de segurança que mostram a mulher e o suspeito. No vídeo, eles aparecem caminhando em direção ao local onde o corpo foi encontrado.

Em outras imagens, o homem foi flagrado deixando o local e mexendo na bolsa da vítima. No depoimento aos policiais, o suspeito alegou que estava que estava em um bar, quando foi abordado pela mulher, que teria pedido drogas e oferecido sexo.

O homem alegou que se sentiu incomodado com a situação e atacou a vítima porque teria sido ameaçado. No entanto, segundo a Polícia Civil, as imagens das câmeras de segurança contrariam essa versão, pois mostram os dois andando tranquilamente.

Ainda de acordo com a corporação, o preso será apresentado para audiência de custódia, que vai analisar se mantém ele preso preventivamente ou não.