(Foto: Reprodução)

Indignados, passageiros do vagão chegaram bloquear a saída de Agnes Vajda da estação até a chegada da polícia

 A polícia de São Paulo vai investigar um caso de racismo que provocou uma grande confusão na noite desta segunda-feira (2) em uma estação de metrô. Segundo a vítima, Welica Ribeiro, uma mulher loira questionou se ela poderia ‘tirar o cabelo’ de perto, caso contrário, poderia ‘passar alguma doença’.  A reportagem é do portal G1.

Welica, que é do Rio de Janeiro, estava com o irmão e os pais quando a mulher começou a falar de seu cabelo.

Samuel Lopes, uma das testemunhas, estava ao lado de Welica no metrô.

Depois do acontecido, Welica, seu irmão e Samuel foram até a delegacia onde o caso vai ser investigado.

A mulher que fez as ofensas também foi ouvida na delegacia.No termo de depoimento que o irmão da vítima prestou, foi registrado o nome de Agnes Vajda como a sendo mulher que proferiu as ofensas. Nas redes sociais ela se identifica como assistente consular do Consulado da Hungria em São Paulo