“Michelle é a figura mais perigosa do bolsonarismo”, diz Cesar Calejon

jul 9, 2022
(Foto: Divulgação | ABR)

“Existe uma possibilidade da Michelle passar a perna em todos os filhos e de alguma forma tomar para ela esse movimento da ultra direita”, advertiu

 

247 – O jornalista e escritor Cesar Calejon comentou a especulações de que a campanha de Jair Bolsonaro tem tentado trazer a primeira-dama Michelle Bolsonaro para a campanha à reeleição.

De acordo com fontes, a estratégia é trazer Michelle para a campanha e tentar suavizar a imagem da campanha de Bolsonaro, além de atrair o voto feminino.

Durante participação no programa Giro das Onze, da TV 247, Calejon afirmou que vê Michele “como a figura mais perigosa do bolsonarismo, principalmente porque ela tem um tipo de inteligência que o próprio Jair Bolsonaro não tem”.

“Muito mais hábil e mais articulada que Bolsonaro que é uma figura unidimensional, que ascendeu com base num momento super específico da nossa política doméstica, que não tem elementos para se reinventar”, enfatizou ele, que é autor de livros como ‘Ascensão do Bolsonarismo no Brasil do Século XXI’ (Editora Kotter) e ‘Tempestade Perfeita: o bolsonarismo e a sindemia covid-19 no Brasil’ (Editora Contracorrente) e o mais recente intitulado “Sobre Perdas e Danos: negacionismo, lawfare e neofascismo no Brasil”.

“Ela sabe que, a depender do que aconteça em outubro, ela pode assumir o protagonismo da cena conservadora do Brasil. Existe uma possibilidade da Michelle passar a perna em todos os filhos e de alguma forma tomar para ela esse movimento da ultra direita”, advertiu.

“Como eu vejo, a Michelle é uma figura muito mais hábil, muito mais ardilosa, muito mais capaz de se reinventar e se posicionar de acordo com a música. Essa resistência a participar da campanha é porque ela percebe que o bolsonarismo como está estruturado neste momento está chegando ao fim. Ela tenta utilizar de alguma forma sem entrar de cabeça e nem abandonar”, disse.