Leandro Grass pretende fazer uma “revolução no transporte do DF”

jul 27, 2022
Passagem mais barata com uso livre de ônibus ou metrô por um período de até um mês é uma das possibilidades propostas por Leandro Grass (Foto: Metrô-DF)

 

Oficializado como candidato ao governo do Distrito Federal pela Federação Brasil da Esperança, Leandro Grass tem propostas concretas para melhorar a mobilidade da população local. O atual deputado distrital afirma que irá promover “uma revolução no transporte público do DF”.

Após dialogar com diversos especialistas e usuários de transporte da capital e estudar exemplos em outras cidades e países, Leandro e sua equipe chegaram ao que chamam de um novo modelo de gestão pública e operação do transporte. “O objetivo é que o DF e as cidades vizinhas tenham um sistema eficiente, confortável, transparente e com redução da emissão de carbono, e no qual os preços das passagens possam diminuir progressivamente, rumo à tarifa zero”, explica o candidato.

De acordo com Leandro Grass, a primeira etapa será mudar o sistema de remuneração do concessionários. “A ideia é acabar com essa montanha de dinheiro público que vai para as empresas sem que ofereçam um serviço decente”, comenta. Ele esclarece que pretende substituir o pagamento por passageiro, que permite fraudes, pelo por quilômetro rodado. Além disso, destaca que é preciso garantir na prática a fiscalização das empresas. “Isso não acontece hoje, elas fazem o que querem, mas terão que cumprir rigorosamente os horários e oferecer ônibus confortáveis e seguros para os usuários”, aponta.

Outro ponto apresentado pelo plano de governo de Leandro Grass é a criação do Bilhete Ir e Vir, com viagens múltiplas e sem limite nos ônibus e no metrô, sem acréscimo de valor para passageiros habituais. O modelo, que já existe em outras cidades, especialmente na Europa, oferece um cartão por um valor reduzido, que dará o direito de o passageiro utilizar o sistema quantas vezes quiser no período de uma semana, uma quinzena ou um mês. “Isso vai reduzir o custo individual e permitir que as pessoas usem o transporte público para além do horário de trabalho, indo para o cinema ou um parque, por exemplo”, ressalta Leandro.

Pelo novo modelo proposto, os usuários eventuais pagarão cada passagem, mas o valor terá uma redução progressiva. “Ainda estamos estudando a possibilidade de operação de algumas linhas gratuitas, ligando, por exemplo, os bairros mais distantes aos terminais e às estações de metrô ou às vias por onde passam os ônibus de longa distância”, explica o candidato. “Queremos que o DF seja referência na qualidade do transporte e ele seja de fato para todos, com menor custo e mais organização, o que vai beneficiar todos os brasilienses e o entorno da capital”.