O requerimento para a criação da CPI foi protocolado pelo parlamentar em fevereiro de 2021

 

Diante da deflagração da Operação Pomona, nesta terça-feira (31), para apurar irregularidades no Instituto de Gestão Estratégica da Saúde do DF (IGES-DF), o deputado distrital Leandro Grass (PV) reforça a necessidade de se instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do IGES, na Câmara Legislativa, solicitada por ele há mais de um ano. A nova operação foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

O requerimento para a criação da CPI foi protocolado pelo parlamentar em fevereiro de 2021. “Entre as várias situações que pretendemos investigar está o caso de um grande amigo do governador que alugava um prédio por milhões ao ano para o instituto e, agora, o nome dele surge mais uma vez”, comenta Leandro, em referência ao empresário Marcelo Perboni, um dos alvos de mandado de busca da operação desta segunda. Perboni é representante da empresa Comércio Importação e Exportação de Alimentos ltda (CEPE), que, de acordo com os investigadores da Gaeco, teria tido a compra de um terreno do governo facilitada e seu aluguel superfaturado.

O pedido para a instauração da CPI cita como objetivo investigar, entre outros fatos, “as denúncias de direcionamento de contratação de determinadas empresas e os gastos dos cartões corporativos de diretores e o aluguel de imóvel, no prazo de 5 anos”. O requerimento já recebeu assinaturas de apoio suficientes para instalação e aguarda decisão da Presidência da Câmara Legislativa. “O que falta agora é vontade política para enfrentar esse assunto e investigar de fato todos esses indícios de irregularidade”, reforça Leandro Grass.