Juliana Paes é acusada de demitir e humilhar funcionária afastada com grave depressão: “dei um barraco para você morar” (vídeo)

jul 31, 2022

A empregada salientou que, durante o tempo em que ficou impossibilitada de trabalhar, não recebeu qualquer contato por parte dos patrões

Juliana Paes foi acusada por uma ex-funcionária de dispensá-la após o fim de uma licença por causa de uma grave depressão. Adriana das Graças afirmou que trabalhou como governanta e cozinheira para a atriz durante 11 anos, lamentando ainda não ter recebido qualquer auxílio para seguir com o tratamento, a exemplo dos custos dos remédios. A reportagem é do portal Notícias da TV.

Segundo a trabalhadora, ela se afastou das suas funções em novembro do ano passado após uma discussão com uma colega de trabalho que atua como babá. Ela teria chegado a colocar a própria vida em risco por causa do surto depressivo. A informação é da colunista Fábia Oliveira, de O Dia.

Adriana alegou que ficou de licença pelo INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) até o fim de julho. Ela teria sido demitida logo em seguida e recebido uma ligação de Juliana neste sábado (30) ao saber que ela havia publicado um vídeo sobre a situação nas redes sociais.

A empregada salientou que, durante o tempo em que ficou impossibilitada de trabalhar, não recebeu qualquer contato por parte dos patrões. Ela apontou que a artista, por exemplo, poderia tê-la contactado para saber o seu estado de saúde.

Desabafo de Adriana

O vídeo foi compartilhado por Albert João, filho de Adriana, em seu perfil no Twitter. “A moça do vídeo é a minha mãe, se dedicou por 11 anos na casa de Juliana Paes e deu seu máximo. Mas quando precisou se internar em um hospital psiquiátrico, por causa de depressão, foi demitida”, escreveu ele.

“O INSS deu seis meses para ela se cuidar, mas os mesmos não quiseram nem saber e demitiram ela”, acrescentou o rapaz, ao compartilhar o desabafo da cozinheira:

Você se dedica por 11 anos a uma família, vê os filhos nascerem e, quando entra em depressão, tenta o suicídio e se interna duas vezes em um hospital psiquiátrico, tem que ir ao Caps [Centro de Atenção Psicossocial] para conseguir remédio gratuito porque ninguém te ajuda. Obrigado, Juliana.

A reportagem entrou em contato com os representantes de Juliana Paes, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.