“A indústria (de energia nuclear dos EUA) é viciada em urânio russo barato”, disse uma fonte do setor à Reuters

Reuters – A indústria de energia nuclear dos Estados Unidos está pressionando a Casa Branca para permitir que as importações de urânio da Rússia continuem apesar da escalada do conflito na Ucrânia, com o fornecimento barato do combustível visto como fundamental para manter os preços da eletricidade americanos baixos, segundo duas fontes familiarizadas com o assunto.

Os Estados Unidos dependem da Rússia e de seus aliados Cazaquistão e Uzbequistão para cerca de metade do urânio que alimenta suas usinas nucleares – cerca de 10,3 milhões de quilos em 2020 – que por sua vez produzem cerca de 20% da eletricidade dos EUA, segundo os EUA. Administração de Informação de Energia e a Associação Nuclear Mundial.

Washington e seus aliados impuseram uma série de sanções a Moscou na semana passada, enquanto as forças russas avançavam na vizinha Ucrânia, embora as sanções isentem as vendas de urânio e transações financeiras relacionadas.

.

O Instituto Nacional de Energia (NEI), um grupo comercial de empresas de geração de energia nuclear dos EUA, incluindo Duke Energy Corp (DUK.N) e Exelon Corp (EXC.O), está pressionando a Casa Branca para manter a isenção sobre as importações de urânio da Rússia, disseram as fontes.

O lobby do NEI visa garantir que o urânio não seja apanhado em futuras sanções relacionadas à energia, especialmente à medida que os pedidos se intensificam para sancionar as vendas de petróleo bruto da Rússia, disseram as fontes.