https://jornaldebrasilia.com.br/blogs-e-colunas/do-alto-da-torre/guerra-aberta/

 

Depois, já candidato, Grass disse que sua federação partidária, formada por PV, PT e PCdoB “está mais unida do que nunca, segue em diálogo com os demais partidos do nosso campo, faremos Lula vencer no DF

Não se deve convidar os distritais Julia Lucy e Leandro Grass para a mesma mesa. Os dois se davam bem quando estavam em outros partidos, chegando até a posar juntos, mas agora a relação azedou. Os primeiros atritos públicos ocorreram quando Julia Lucy subscreveu o projeto que prorroga o prazo para substituição de sacolas plásticas pelo comércio de Brasília e Grass não gostou. Depois, já candidato, Grass disse que sua federação partidária, formada por PV, PT e PCdoB “está mais unida do que nunca, segue em diálogo com os demais partidos do nosso campo, faremos Lula vencer no DF”. Isso significa, segundo ele, “derrotar as facções”. Lucy deu o troco. “Derrotar facções se unindo a outras é difícil de engolir, né?”, cutucou, completando: “Vale tudo pra vencer eleição?”. Grass reagiu. Dirigindo-se diretamente à colega, afirmou que “para ganhar a eleição o que vale é o trabalho e o voto popular”. Aí partiu para o contra-ataque, dizendo que não faz alianças e escolhas partidárias “por critérios financeiros ou outros que não sejam programáticos”.

Publicado originalmente na coluna Do alto da torre