Governo Bolsonaro dilapida caixa da Petrobrás, que paga duas vezes mais dividendos do que as gigantes globais do petróleo

ago 3, 2022
Petrobras e Bolsonaro (Foto: Reuters)

Governo Bolsonaro está secando o caixa da empresa para favorecer acionistas privados

 

A política do governo Bolsonaro de dilapidar o caixa da Petrobrás para favorecer acionistas privados da estatal, comprometendo investimentos futuros, criou uma situação atípica: a estatal brasileira paga dividendos duas vezes maiores do que as gigantes globais do setor. Confira, abaixo, reportagem da Reuters:

Reuters – A Petrobras vai distribuir pelo menos duas vezes mais dividendos no segundo trimestre do que as maiores produtoras de petróleo do planeta, enchendo os cofres do governo em meio a um tenso período eleitoral.

As cinco maiores produtoras de petróleo do Ocidente –a Exxon Mobil Corp, a Chevron Corp., a Shell PLC, a TotalEnergies e a BP –publicaram recordes em distribuições a seus acionistas nos últimos dias, entre 4 e 7,6 bilhões de dólares. Mas nenhuma delas chega perto do valor de 17 bilhões de dólares da Petrobras.

O pedido veio enquanto o governo do presidente Jair Bolsonaro, que enfrenta neste ano uma dura batalha pela reeleição, contornou no mês passado o teto de gastos constitucional para financiar um pagamento maior em programa de transferência de renda para eleitores de baixa renda.

A Petrobras irá distribuir cerca de 60% a mais a seus acionistas do que seu lucro de 10,5 bilhões de dólares (54,33 bilhões de reais). Críticos dizem que o pagamento expressivo afetará os investimentos nos negócios da empresa.

A Saudi Aramco tem distribuído 18,76 bilhões de dólares a seus acionistas por trimestre. O próximo valor de seus dividendos será publicado no dia 14 de agosto.

A norte-americana Exxon, que publicou o maior lucro trimestral entre as cinco maiores, gastou 7,6 bilhões de dólares em distribuições a acionistas.

Os pagamentos de dividendos serão feitos pela Petrobras antes do primeiro turno das eleições, marcado para o dia 2 de outubro.

A Petrobras disse que os preços mais altos do petróleo e as vendas de ativos permitiram o pagamento extra e não comprometeram os investimentos planejados. A empresa acrescentou que está em uma situação de caixa confortável e pode reter entre 8 bilhões e 10 bilhões de dólares em caixa este ano.

A Petrobras ainda reafirmou seu compromisso de distribuir pelo menos 60% de seu fluxo de caixa livre aos investidores.

“O pagamento extraordinário de dividendos provou ser a melhor alocação do caixa da empresa”, disse a Petrobras em comunicado.