Jogador ainda corre o risco de ser deportado – e pode até ser preso

 

MELBOURNE, 12 Jan (Reuters) – O tenista Novak Djokovic disse que um “erro humano” está por trás de um erro cometido em seus documentos de entrada na Austrália que violam as rígidas leis do país sobre relatar viagens recentes, enquanto o governo pondera se deve deportar o jogador.

Djokovic foi mantido em detenção de imigração em Melbourne por vários dias depois que seu visto foi cancelado por funcionários da força de fronteira, que questionaram sua isenção médica para a exigência de ser vacinado contra o COVID-19.

Ele foi liberado na segunda-feira quando um juiz anulou a decisão, dizendo que o cancelamento do visto era “irracional” porque o jogador não teve tempo de consultar advogados e autoridades do tênis quando chegou ao país.

“Isso foi um erro humano e certamente não foi deliberado”, disse Djokovic em um post no Instagram. “Estamos vivendo tempos desafiadores em uma pandemia global e, às vezes, esses erros podem ocorrer.”

A declaração veio enquanto o ministro da Imigração da Austrália, Alex Hawke, considerava se cancelaria o visto do tenista número um do mundo antes do Aberto da Austrália, que começa em 17 de janeiro.

Djokovic, que está tentando conquistar o recorde de 21º major de tênis no Open, disse que seus advogados forneceram informações adicionais ao governo australiano na quarta-feira.

Um porta-voz de Hawke, que tem o poder discricionário de cancelar novamente o visto de Djokovic, disse que o processo de consideração seria estendido para avaliar as novas informações.

A Austrália tem uma política que proíbe a entrada de não cidadãos ou não residentes, a menos que estejam totalmente vacinados contra o COVID-19, mas oferece uma isenção médica. O visto de Djokovic foi cancelado porque ele não foi vacinado e sua isenção médica não foi satisfatória.

A decisão do tribunal de segunda-feira não abordou se essa isenção – com base na contratação de Djokovic COVID-19 no mês passado – era válida.

Voracova, que também tinha isenção do COVID-19 e foi detida após a chegada de Djokovic, já estava no país há vários dias e participava de um evento de aquecimento.

“Continuaremos a trabalhar com as autoridades para lidar com essa situação infeliz de maneira apropriada”, disse a WTA em comunicado.

Voracova disse ao canal de TV de Luxemburgo RTL Today que consideraria uma ação legal se a Tennis Australia não a compensasse pelas despesas de viagem e potencial perda de prêmios em dinheiro.

Surgiram dúvidas sobre os movimentos de Djokovic antes de vir para a Austrália, quando as postagens nas redes sociais apareceram para mostrá-lo em Belgrado menos de duas semanas antes de ele ir para a Espanha e depois para a Austrália.

Relatos de duas testemunhas oculares e outro indivíduo, obtidos pela Reuters, corroboraram essas postagens nas mídias sociais.

Djokovic, que realizou outra sessão de treinos em Melbourne Park na quarta-feira, não detalhou sua viagem em seu comunicado na quarta-feira reconhecendo o erro.

O governo disse que a informação ajuda a determinar quaisquer medidas de quarentena necessárias e permite que as autoridades de saúde entrem em contato com as pessoas se um companheiro de viagem for positivo.

ENTREVISTA DE DESCULPAS

“Enquanto fui para casa após a entrevista para me isolar pelo período necessário, refletindo, isso foi um erro de julgamento e aceito que deveria ter remarcado esse compromisso”, disse ele.

Djokovic negou relatos da mídia de que também sabia que havia contraído o vírus quando participou de um evento de tênis em Belgrado para entregar prêmios a crianças um dia antes.

“Eu estava assintomático e me senti bem, e não recebi a notificação de um resultado positivo de PCR até depois desse evento”, disse ele, acrescentando que um teste rápido de antígeno feito antes do evento deu negativo.

As postagens nas redes sociais mostraram Djokovic posando com as crianças, sem usar máscara.

Enquanto os torcedores da estrela sérvia alegam que ele está sendo feito de bode expiatório pelas autoridades australianas, Djokovic deve enfrentar uma multidão difícil no Open.

A opinião pública na Austrália, que está lutando contra uma onda de infecções Omicron e onde mais de 90% da população adulta é duplamente vacinada, tem sido amplamente contra o jogador.

Um vídeo vazado mostrando dois âncoras de uma rede de televisão de primeira linha atacando Djokovic fora do ar se tornou viral nas mídias sociais na quarta-feira.