Bocas de lobo a cada quatro metros, na área descoberta do túnel, levarão a água da chuva para as canaletas | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Estruturas ajudarão no escoamento da água da chuva que cair sobre e dentro da estrutura viária, mantendo as pistas secas

 

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes
Uma boa drenagem é essencial em qualquer obra para o escoamento correto da água da chuva. No caso do Túnel de Taguatinga, canaletas construídas ao longo da obra de arte são consideradas essenciais para manter as pistas mais secas possível.

Bocas de lobo a cada quatro metros, na área descoberta do túnel, levarão a água da chuva para as canaletas | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Elas estão sendo feitas no sentido leste a oeste da passagem subterrânea e vão ter cerca de 1 km de comprimento. Nos emboques dos túneis, no lado leste, foram previstas canaletas longitudinais. Dotadas de boca de lobo, elas vão captar as águas de chuva das rampas de acesso, que conduzirão o fluxo da água para as canaletas ao longo do túnel.

“Na região do emboque, que é a área descoberta, a cada quatro metros são feitas bocas de lobo. Já no interior do túnel, elas são feitas a cada 30 metros. É através dessas bocas de lobo que a água é captada para dentro da canaleta”, detalha o fiscal da obra e engenheiro da Secretaria de Obras, Antonio Carlos Ribeiro Silva.

“As canaletas, como o próprio nome diz, servem para canalizar a água da chuva e também a água que cai, eventualmente, no interior do túnel. Em outro caso, por exemplo, serve para o Corpo de Bombeiros lavar a pista de rolamento quando houver um acidente dentro do túnel”, acrescenta Antonio Carlos.

Já as águas captadas através das canaletas no sentido oeste serão lançadas no sistema de drenagem superficial, cujo destino final será a bacia de detenção, com capacidade para 4.696,09 m³.

Com 70% de execução, as obras do Túnel de Taguatinga contam com cerca de 400 operários envolvidos na construção, sendo considerada a maior obra viária em execução no Brasil. O investimento é de R$ 275 milhões.