O Ramal do Agreste, se estivesse funcionando, iria fornecer água para mais de 2 milhões de pessoas; a obra não foi concluída por que o presidente vetou a verba final

Fazendo jus ao seu campo político que, basicamente, é construído a partir de fake news e desinformação, o presidente Bolsonaro (sem partido) vai realizar nesta quinta-feira (21) a “inauguração” do Ramal do Agreste na cidade de Sertânia (PE).

Porém, a obra ainda não está concluída justamente por corte de verbas promovido pelo governo Bolsonaro.

De acordo com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), a obra que será “inaugurada” por Bolsonaro não foi concluída por que o presidente vetou, em abril, o valor de R$ 161 milhões que seria utilizado para finalizar a obra.

O Ramal do Agreste, quando estiver com a sua obra concluída, fornecerá água para mais de 2 milhões de pessoas em 68 cidades da região que sofrem com escassez.

O governo federal também acusa a gestão de Paulo Câmara de esconder que 90% dos recursos da Adutora do Agreste são oriundos do governo federal.

É neste clima de obra inacabada e trocas de farpas que se dará a “inauguração” de uma adutora do Agreste.

Com informações da Folha de S. Paulo