.

Curso de capacitação na área de costura vai oferecer aulas para cerca de 600 estudantes, que receberão auxílio transporte, alimentação e bolsa

 

FLÁVIO BOTELHO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU

Após um longo hiato em suas atividades devido à pandemia, a Fábrica Social, localizada na Cidade do Automóvel, voltou oficialmente às suas atividades nesta quarta (26). Uma parceria entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e o Instituto Viver, uma Organização da Sociedade Civil (OSC), vai inicialmente promover cursos na área de costura para cerca de 600 estudantes.

A finalidade da Fábrica Social é promover educação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade, inscritas no CadÚnico, e criar oportunidades concretas aos alunos para que consigam ser inseridos no mercado de trabalho e tenham autonomia socioeconômica| Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Posteriormente, a Secretaria de Trabalho (Setrab), responsável por gerir a Fábrica Social, quer abrir novas turmas nas áreas de costura e serigrafia, construção civil e jardinagem para capacitar outras 600 pessoas, totalizando 1,2 mil estudantes nesta retomada das atividades.

“A Fábrica Social vai se tornar referência na capacitação profissional em Brasília. Com dignidade e respeito, vamos ajudar as pessoas a se capacitarem, terem um emprego e serem protagonistas das próprias vidas”Thales Mendes, secretário de Trabalho

Aluna da primeira turma, que começará as aulas na próxima segunda (31), a dona de casa Cheila Adlla, 33, não esconde a ansiedade de aprender um novo ofício. “Casei muito nova, tive filhos e vim do interior, nunca tive oportunidade de ter uma experiência de trabalho assim. Muito bom participar desse curso, poder aprender a ser costureira, vai ser uma oportunidade muito boa”, afirma.

Todos os participantes dos cursos ministrados na Fábrica Social receberão um auxílio de custo para o transporte, auxílio alimentação e uma bolsa, cujo valor é baseado de acordo com a produção dos materiais. Os cursos são modulares e podem ter duração de até 18 meses.

“A Fábrica Social vai se tornar referência na capacitação profissional em Brasília”, destacou o secretário de Trabalho, Thales Mendes, durante a cerimônia. “Todos os dias ofertamos várias vagas de emprego, em todas as áreas, e grande parte delas não é preenchida por falta de experiência e capacitação. Com dignidade e respeito, vamos ajudar as pessoas a se capacitarem, terem um emprego e serem protagonistas das próprias vidas.”

A presidente do Instituto Viver, Adélia Morbeck, reforçou o comprometimento em ministrar boas aulas para os participantes. “O mercado empregatício busca cada vez mais pessoas qualificadas, tanto profissional quanto socialmente. É gratificante e emocionante trabalhar com qualificação. Contem conosco. Estamos muito felizes de estarmos com vocês nos próximos meses”, ressaltou.

A dona de casa Cheila Adlla, 33, está ansiosa para aprender um novo ofício | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Presente na cerimônia, o deputado distrital Robério Negreiros salientou a importância do envolvimento do poder público neste setor da economia. “Eu venho do setor produtivo e sei da importância da capacitação profissional. O Estado tem de proporcionar isso para que as pessoas possam seguir seus sonhos, sair do marasmo do desemprego e se recolocar no mercado de trabalho”, finalizou.

“O mercado empregatício busca cada vez mais pessoas qualificadas, tanto profissional quanto socialmente. É gratificante e emocionante trabalhar com qualificação”Adélia Morbeck, presidente do Instituto Viver

Inserção profissional

A finalidade da Fábrica Social é promover educação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), e criar oportunidades concretas aos alunos para que consigam ser inseridos no mercado de trabalho e tenham autonomia socioeconômica.

A Subsecretaria de Integração de Ações Sociais, reestruturada pelo Decreto nº 41.756, de 1 fevereiro de 2021, unidade orgânica de comando e supervisão, diretamente subordinada à Setrab, é o órgão atualmente responsável pela administração da estrutura e pelo funcionamento da Fábrica Social.

“Trabalhamos para capacitar e inserir cada vez mais pessoas no mercado”

 

Ao longo destes anos foram realizados no centro diversos cursos de capacitação e qualificação profissional nas áreas de confecção de vestuário, acessórios e materiais esportivos, construção civil, jardinagem e cultivo de alimentos, marcenaria sustentável e instalação e manutenção de sistemas fotovoltaicos.

 

* Com informações da Secretaria de Trabalho